Instruções para autores

INSTRUÇÕES PARA AUTORES
NATUREZA DO TEXTO

Os trabalhos podem ser apresentados sob três categorias: Artigo Original, Artigo de Revisão e Nota Científica.

  • Artigo Original: um texto será considerado original quando representa um avanço no conhecimento da área de estudo e permite ao leitor avaliar objetivamente os dados apresentados e sua fundamentação teórica.

 

  • Artigo de Revisão: trata-se da revisão geral de uma área do conhecimento, constando do processo de compilação, análise e discussão de informações já publicadas.

 

  • Nota Científica: trata-se de uma descrição concisa mas completa de um assunto sujeito a investigação de caráter limitado, e sem a mesma estrutura de um artigo original.

PREPARAÇÃO DO TEXTO

No preparo dos originais deve-se observar, sempre que possível, a estrutura convencional dos artigos científicos: Título, Resumo e Abstrac, (com palavras-chaves e key words), Introdução, Material e Métodos, Resultados, Discussão e Referências Bibliográficas.

  • Título – deve ser breve e indicativo da exata finalidade do artigo, em letras maiúsculas, seguido de sua tradução para o Inglês, em letras minúsculas.

 

  • Autores – com seus nomes escritos em letras maiúsculas somente nas iniciais, seguidos de um número sobrescrito como chamada para o rodapé, onde devem ser citados: cargo que ocupa(m), instituição de origem, condição de bolsista do CNPq, CAPES ou outras organizações, e e-mail.

 

  • Resumo – em português, com no máximo 200 palavras, sem emprego de parágrafos. Deve ser conciso e claro, ressaltando os resultados mais importantes.

 

  • Abstract em Inglês, com as mesmas características do Resumo.

 

  • Palavras-chaves (key words) – colocadas em seguida ao Resumo e Abstract, em número máximo de oito.

 

  • Introdução – deve estabelecer com clareza o objetivo do trabalho, relacionando-o com outros do mesmo campo e apresentado de forma sucinta a situação em que se encontra o problema investigado. Extensas revisões de literatura devem ser substituídas por referências aos trabalhos mais recentes.

 

  • Material e Métodos – a descrição dos métodos usados (inclusive a análise estatística) deve limitar-se ao suficiente, para possibilitar a perfeita compreensão dos mesmos. Processos e técnicas já descritos em outros trabalhos devem apenas citados, a menos que tenham sido bastante modificados.

 

  • Resultados – devem ser apresentados com clareza e, sempre que necessário, acompanhados de tabelas e material ilustrativo pertinentes à análise das informações.

 

  • Ilustrações – todo material ilustrativo (gráficos, fotografias, desenhos, mapas) deve ser designado no texto como “Figura”, com numeração sequencial em algarismos arábicos. As legendas devem ser auto-explicativas e datilografadas em folha à parte. As ilustrações devem ser identificadas com a indicação do nome do autor e título abreviado do artigo. As letras e números das figuras devem ser suficientemente grandes para permitir uma redução que não as torne ilegíveis. As fotografias devem ser, de preferência, em preto e branco, e de boa qualidade.

 

  • Tabelas – devem ter numeração sequencial em algarismos romanos, com título auto-explicativo e, se necessário, legenda colocada como rodapé, prescindindo do texto para sua compreensão.

 

  • Discussão – deve restringir-se à avaliação dos resultados obtidos e de suas possíveis causas e consequências, relacionando as novas contribuições aos conhecimentos anteriores. Evitar a linguagem científica utilizada em Dissertações e Teses, substituindo-se um tipo de frase muito comum, como por exemplo: ”segundo Silva (1990) que, ao estudar o camarão Xiphopenaeus kroyeri na Baía de Todos os Santos, verificou que os indivíduos se distribuíam nos comprimentos de 65 a 138 mm”, por “o camarão Xiphopenaeus kroyeri se distribui na faixa de 65 – 138 mm de comprimento, na Baía de Todos os Santos (Silva, 1990)”.

 

  • Referências Bibliográficas – devem ser apresentadas em ordem alfabética por sobrenome do autor e, em caso de repetição da autoria, em ordem temporal. A seguir, as normas para os diversos tipos de contribuição e respectivos exemplos.

•  Artigo publicado em periódico – nome do(s) autor(es) seguido das iniciais, título completo do artigo, nome abreviado do periódico (em itálico), cidade (sempre que possível), volume (v.), número (n.), número de páginas (p.) e ano de publicação.

Santos, E.P.; Alcântara Filho, P. & Rocha, C.A.S. Curvas de rendimento de
lagostas no Estado do Ceará (Brasil). Arq. Ciên. Mar, Fortaleza, v.13, n.1,
p.9-12, 1973.

Livro – nome do(s) autor(es) seguido das iniciais, título completo do livro (em itálico), editora, número de páginas, cidade, ano.

Fonteles-Filho, A.A. Recursos pesqueiros: biologia e dinâmica populacional.
Imprensa Oficial do Ceará, XVI + 296 p., Fortaleza, 1989.

Capítulo de livro – nome do(s) autor(es) seguido das iniciais, título completo do artigo, número de páginas do capítulo, nome do(s) editor (es), título do livro (em itálico),  editora, número de páginas do livro, cidade, ano.

Lipcius, R..N. & Cobb, J.S. Introduction: ecology and fisheries of spiny lobsters,
p.1-30, in Phillips, B.S.; Cobb, J.S & Kittaka, J. (eds.), Spiny lobster
management. Fishing News Books, 550 p.,Oxford, 1994.

Artigo em Anais de Congresso – nome do(s) autor(es) seguido das iniciais, título completo do artigo, número de páginas do artigo, nome do(s) editor (es), título dos anais (em itálico), editora (se houver), número de páginas dos anais, cidade, ano.

Menezes, M.F. Alimentação da lagosta do gênero Panulirus White, na plataforma
continental do Ceará, Brasil, pp. 67-80, in Anais do VI Congresso Brasileiro de
Engenharia de Pesca, 273 p., Teresina, 1989.

Monografia, dissertação ou tese – nome do(s) autor(es) seguido das iniciais, título completo do trabalho (em itálico), especificação do tipo (monografia, dissertação ou tese), nome do curso de pós-graduação, nome da universidade,  do número de páginas, cidade, ano.

Ivo, C.T.C., 1996. Biologia, pesca e dinâmica populacional das lagostas
Panulirus argus e Panulirus laevicauda (Laterille) (Crustacea; Palinuridae),
capturados ao longo da plataforma continental do Brasil, entre os Estados do
Amapá e Espírito Santo. Tese de Doutorado, Programa de Pós-graduação
em Ecologia e Recursos Naturais, Universidade Federal de São Carlos, 279
p., São Carlos, 1996.


APRECIAÇÃO DO ARTIGO PARA PUBLICAÇÃO

O será analisado por dois membros do Conselho Consultivo. Os pareceres dos relatores serão encaminhados aos autores, juntamente com os originais, para que sejam realizadas as devidas correções.

Submissões

editor.acmar@gmail.com